12/09/2009

Inferno

Posted in Reflexão tagged , , às 12:00 AM por Rodriguinho

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo 3:16 NVI, grifo do autor)

Quantas vezes você já ouviu que Deus amou o mundo, amou o ser humano e toda a sua criação. Ou melhor dizendo, quantas vezes você já ouviu que Deus ama o mundo e as pessoas? Com certeza esta não foi a primeira vez. Porém, podemos pensar o seguinte: “Como Deus pode amar o mundo, se Ele manda as pessoas vão para o inferno simplesmente por não crerem nEle”? É estranho, não acha?

Só que, ao fazermos esta pergunta, não vemos que o inferno é uma opção nossa; é uma prova do amor de Deus pelo ser humano. Eu sei: isso parece loucura; mas a verdade é essa: Deus tanto amou as suas criaturas que deu a liberdade de escolher entre viver a eternidade com ou sem Ele!

Deus não nos força a ficar na Sua presença. Ele deseja que façamos isso por vontade própria; por amor a Ele, e não por obrigação. Não somos robôs ou máquinas sem poder de decisão. Logo, ir para o inferno ou para o céu é uma decisão nossa, não uma determinação de Deus.

Se cremos de todo o coração que Jesus morreu por nossos pecados, ressuscitou e está intercedendo por nós lá no céu; se aceitarmos Ele como nosso Salvador, como nosso “advogado” perante Deus, então estamos aceitando viver eternamente na presença dEle. Aceitamos a presença de Jesus em nossas vidas e vivemos em comunhão com Ele.

Agora, se preferimos viver por nossa conta, satisfazendo nossos desejos ao invés de viver lado a lado com Deus, então Deus, por amor, respeitará a nossa escolha, mesmo sendo uma escolha ruim. Deus respeitará nossa escolha.

A escolha é sua: você deseja viver a eternidade na presença de Deus, onde o amor uns pelos outros está presente? Ou deseja viver para sempre longe de Deus, onde cada um viverá conforme bem entender, mesmo que isso prejudique os outros ao seu redor? A escolha é sua! Faça-a enquanto há tempo!

Anúncios

1 Comentário »

  1. Marcos Reis said,

    Aham!

    Aquela idéia de inferno como castigo imposto por Deus não é coerente com a verdade. Tal ideia vitimiza o homem, coloca a humanidade como sujeito passivo na história. E a eternidade é uma continuação da história num sentido ‘macro’, não é algo que ainda será inventado.

    Nossos dias já integram a eternidade. A diferença é que o período da eternidade em que vivemos é um período de escolha, um período difícil. Talvez pode-se comparar com a infância e adolescência. Tendemos à rebeldia, à irreverência, mas temos a oportunidade de desenvolver um relacionamento íntimo com Deus. É nisso que eu creio.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: